SIMTRI se solidariza com as perdas causadas pela Covid-19

Há um ano os brasileiros tiveram suas vidas modificadas pela chegada da pandemia do novo coronavírus. O mundo inteiro precisou se adaptar ao uso de máscaras, ao isolamento social e às muitas normas sanitárias para conter a propagação da doença. No entanto, os esforços da época não foram necessários para evitar a contaminação e as mortes.

A primeira morte causada pela Covid-19 em Triunfo aconteceu no dia 02 de junho de 2020. O paciente ficou mais de 40 dias internado em estado grave até ser vencido por complicações decorrentes do vírus. Passados nove meses, o município já contabiliza 54 óbitos, 14 deles foram registrados entre os dias 15 e 22 de março, sendo esta semana mais letal da pandemia até agora.

Dos mais de 1800 triunfenses que testaram positivo para Covid, 115 estão em tratamento. Cerca de 120 pessoas ainda aguardam o resultado do teste e 640 estão em monitoramento domiciliar.

O que mais preocupa os profissionais de saúde e aqueles que tem familiares doentes é a superlotação de todos os hospitais do Estado. Nesta terça-feira (23/03), 32 triunfenses encontravam-se hospitalizados (26 no hospital Santa Rita e 06 em outros hospitais)

O Sindicato dos Servidores Municipais de Triunfo – STMRI se solidariza com todas as famílias que estão sofrendo com a perda de algum ente querido, em especial, com a família dos associados que perderam a batalha contra o coronavírus.

Neste momento de tantas perdas, angústias e incertezas, em que o país chega à marca de 300 mil mortos, o SIMTRI faz um apelo aos sócios e a todos os munícipes, para que redobrem os cuidados sanitários, ficando em casa o máximo que puderem, usando máscara sempre que precisarem sair e evitando aglomerações.

Em meio à batalha que estamos travando contra o coronavírus, existem aqueles que tem sido essenciais e incansáveis na função de salvar vidas. Por isso, queremos fazer um agradecimento especial aos profissionais da área da saúde que, apesar de exaustos, não deixam de cuidar daqueles que precisam.”, finalizou o presidente do SIMTRI, Carlos Diovane Ramos Castro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × quatro =