Nova tarifa da balsa Triunfo x São Jerônimo começa a valer no dia 04 de junho

AGERGS promoveu na última sexta (24/05) audiência pública na Câmara de Vereadores de Triunfo para informar a população

Alegando defasagem e necessidade de obras de infraestrutura, a Transportadora Inácio pede que a tarifa básica da travessia de automóveis passe dos atuais R$ 8,30, que estão em vigor desde setembro de 2016, para R$ 11,00.

O pedido representa um reajuste de 32,54%. Entre as necessidades alegadas pela empresa, estão a destinação de recursos para a construção de atracadouros, que segundo a empresa é uma medida urgente e vital para a continuidade dos serviços, haja vista que a estrutura oferecida pelo órgão concedente não permite a operação de atracagem nas cheias dos rios; destinação de recursos para aquisição de equipamentos que permitam a travessia em períodos de neblina e para a continuidade das obras de infraestrutura da Rua Flores da Cunha. “Frisa-se aqui ser esta a condição para revogação do Decreto que proíbe o trânsito de veículos com mais de 3,5 toneladas nas ruas que dão acesso à balsa na cidade de São Jerônimo”, alega a empresa.

No entanto o reajuste proposto pela Agergs foi de 18,47% sobre a tarifa técnica vigente

A Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do RS – AGERSG promoveu na última sexta-feira (25/05), às 14h, na Câmara Municipal de Vereadores de Triunfo, uma audiência pública para tratar da Revisão tarifária Ordinária para o Serviço de Travessia Hidroviária de Veículos entre os municípios de Triunfo e São Jerônimo.

A mesa foi composta pelo diretor de tarifas, Carlos Alvin Mussi ; pelo conselheiro da Agers, Cleber Domingues; pelo engenheiro da Metroplan Júlio César Fredes da Silveira, pelo vereador de São Jerônimo, Gilnei Ventura; pelo então prefeito em exercício Murilo Machado da Silva e por Rivair Lagranha representando a Casa Legislativa anfitriã.

Gilnei Ventura reclamou das péssimas condições da estrada de chão do porto da barca em São Jerônimo e pediu parcerias para melhorar a situação e disse que o momento é omplicado para um aumento de tarifa. Em resposta, o engenheiro Júlio César sugeriu uma parceria com o governo do estado. “Estamos fazendo obras hoje que estavam previstas em 2013 e 2014”, explicou.

Já Cleber Domingues disse que trata-se de um investimento urbano e que por isso a responsabilidade é do município.
O prefeito Murilo se colocou como parceiro do município de São Jerônimo e também disse que o momento é inadequado para um reajuste de tarifa por onerar a população e as empresas de transporte.

Rafael Kuhn proprietário de transportadora que estava presente na audiência pública comentou que além do aumento da tarifa, está prevista a instalação de um pedágio da BR 386. Em seguida contestou o reajuste de 30%. Disse que possui um caminhão novo que não passa na barca por causa das condições da estradas.

Mesmo com todos os questionamentos, foi decretado o aumento. Segundo a Agergs, a proposta desta revisão é proporcionar uma receita tarifária futura suficiente para cobrir o custo total admitido neste trabalho de R$ 4.378.575,43.

O custo final admitido foi calculado pela média dos exercícios de 2016, 2017 e 2018, devidamente atualizados. O valor apurado da tarifa técnica do serviço foi obetida pela divisão entre custo total admitido e o fluxo admitido de veículos equivalentes.

A AGERGS recomenda a manutenção da tarifa atual, de R$ 8,30, que já tem um plus tarifário de 9,38% determinado por uma revisão extraordinária e que deveria ter sido retirado em fevereiro de 2017, mas que segue em vigor.

Para melhor aproveitamento das audiências, foi sugerido que esse tipo de atividade seja realizada nos dois municípios, pois geraria uma melhor comunicação entre os agente públicos. A Agergs concordou com a sugestão.

TARIFA REAJUSTADA
índice

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + 14 =