Vereadores de Triunfo enviam à AL moção de repúdio ao pacote do magistério público estadual proposto pelo governo

No dia 18 de novembro, foi aprovada por unanimidade a Moção 017/2019, de repúdio contra os projetos de alteração no plano de carreira do magistério público estadual, no Estatuto do Servidor Público do Rio Grande do Sul e na Previdência Estadual, que será enviada à Assembleia Legislativa do Estado.

Diante do paralisação dos servidores da área da educação do Estado do Rio Grande do Sul, o Poder Legislativo de Triunfo apoia o movimento grevista, em especial os servidores da cidade, que prestam excelente serviço no município.

No documento, os vereadores ressaltaram que a categoria amarga processo de empobrecimento, com cinco anos sem qualquer reposição salarial, acumulando perdas inflacionárias superiores a 1/3 do poder aquisitivo de novembro de 2014. Os membros do Legislativo lembraram que o Rio Grande do Sul é a quarta maior economia do país, mas paga o segundo pior salário básico aos professores, com defasagem que chega a 102% em relação ao Piso Nacional do Magistério e, que além do congelamento, os salários são quitados com atraso e/ou parcelamento há 47 meses.

Se aprovadas as alterações do Plano de Carreira do Magistério, quem parará o Piso do Rio Grande do sul será o próprio professor. De acordo com a moção, proventos serão congelados, direitos retirados e o dinheiro dos aposentados que ganham menos, será confiscado com a taxação da previdência.

“As atuais vantagens serão integradas ao básico para mascarar o pagamento do piso e o valor excedente será transformado em parcela autônoma. Eventuais reajustes futuros do básico serão descontados da parcela autônoma, condenando grandes segmentos da categoria ao congelamento de seus contracheques até que toda a parcela seja integrada ao básico… É inaceitável que recaia nos ombros de quem recebe os menores salários e pensões a conta da má gestão, das desonerações fiscais bilionárias, da sonegação de grandes empresas e dos privilégios dos altos salários”, diz a íntegra do texto.

Por fim, os vereadores alertaram que projetos como este levarão à queda da qualidade do ensino prestado nas escolas da rede estadual do município, além dos efeitos negativos na economia local e na subsistência das famílias dos professores e funcionários de escolas da cidade e do risco de fechamento de diversas instituições de ensino localizadas em Triunfo.

Depois de aprovada a Moção 017/2019 foi enviada à presidência da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − 2 =